Navigation Menu+

Há muito tempo um homem bateu em uma mulher e eu nasci.

Posted by

carol1

Há muito tempo um homem bateu em uma mulher e eu nasci. Logo depois outro homem bateu em minha mãe e minha irmã nasceu. Quando não esperávamos, os dois homens brigaram. O segundo, que era mofino, mas tinha uma arma, acertou o primeiro e nossa mãe. Os dois morreram. Esse homem nos levou aos seus cuidados, que embora não fossem pelo zelo, era uma responsabilidade mínima repleta de culpa. Um abrigo, um alimento. Andávamos maltrapilhos, minha irmã e eu, roendo as pontas dos dedos em busca do próprio tutano. Algo nos roía também. A miséria, o tempo. Ela tinha 11, e a situação do homem, tão roído quanto nós, deixou-o insano. Um dia quis bater em minha irmã, do mesmo jeito que bateu em minha mãe. Intrometi-me entre suas mãos controvertidas, seus olhos cegados e seu corpo pavoroso de pelancas erodidas. Fiquei um tempo apreensivo, querendo saber do bicho que nasceria de mim. Passados meses, nada nasceu. Mas sinto pulsar num canto íntimo os vestígios de um monstro. Em gestação.